terça-feira, 9 de março de 2010

Pinta


Da mesma forma que há coisas intrinsecamente más, também as há intrinsecamente boas. Como por exemplo, Marlon Brando, mais concretamente na cena da varanda no Eléctrico Chamado Desejo (doravante "Streetcar", que é como eu gosto de me referir a este filme, que sou pessoa de tu-cá-tu-lá).
Não me parece que alguém possa ficar indiferente a Brando (em novo), nem mesmo homens, embora compreenda que alguns sintam a necessidade de não o admitir. Nada tem a ver com preferências íntimas ou falta delas - tem a ver com o facto de algumas pessoas, homens ou mulheres, terem um magnetismo indelével, inegável, inultrapassável. Aquele tipo de pessoas à volta das quais os outros giram como pequenos satélites deslumbrados. Muitas vezes, estas pessoas nem sequer são muito bonitas, de feições perfeitas e imaculadas. Às vezes, até são feias. Mas, como diria o Nelo, personagem do grande Herman, acerca de si próprio, "têm muito poder".
E são estes, até, os casos mais interessantes e profundos de atracção - os feios com pinta.
Não era o caso de Brando, porém. Era deslumbrante com pinta. Teve sorte, nada a fazer.



2 comentários:

Fado Alexandrino disse...

Marlon Brando, que bem lembrado que fantástico actor.

Vi imensos filmes com ele, todos bons. Esta cena aqui relatada claro que é um paradigma (andava mortinho por empregar a palavra que o sucateiro preso usou na entrevista)mas a cena inicial do Godfather (I believe in America)com o algodão nas bochechas e o gato ao colo, deve estar entre as dez maiores do cinema.

Vou aliás revê-la daqui a bocadinho ao mesmo tempo que me relembro da vida épica, fabulosa que este homem viveu.
Mas as tragédias que se abateram sobre ele mostraram que a vida cobra sempre um débito quando oferece créditos muito grandes.

Pertenço aquela série de homens, não muito bonitos, não muito altos, não muito fortes e decididamente sem dinheiro por isso sei perfeitamente ter ódio aos outros, e o meu ódio de estimação é o Alain Delon por estes motivos todos e ainda por ter namorado a "Sissi".

Rita F. disse...

A Sissi era linda!

O Brando, além de lindo, era também um grande actor, concordo. Não sei se foi a vida que lhe cobrou créditos, se ele cobrou créditos a si próprio.