segunda-feira, 19 de abril de 2010

Ginásios

Já descobri por que abomino ginásios.
É porque tenho de estar ali ingloriamente a fazer figura de parva numa bicicleta que não vai a lado nenhum? Não.
É porque tenho de exibir protuberâncias que quero manter escondidas ao mundo, e deixar que os meus olhos se firam com a vã flacidez de outros seres humanos, também eles ingloriamente batalhando num tapete andante que os há de deixar para sempre à espera de Godot? Não.
É porque os espaços interiores, de luz artificial do ginásio, me deixam indisposta e a sentir-me na Caverna? Não (quer dizer, sim, mas neste caso, não).
É porque não gosto da roupa que se tem de usar em ginásios. Detesto a roupa. O meu problema é de ordem estética, e não física.
A roupa de desporto é pavorosa. Calças largas demais ou justas demais, sem qualquer forma ou feitio minimamente elogioso. Sapatos de ténis de cores incompreensíveis. T-shirts que, já não lhes basta a forma quadrada e anódina, se colam à pele, independentemente do tecido. Blusões disformes. Nada se aproveita, tudo se transforma em trapos garridos e sem jeito.
Não conheço ninguém, ninguém, ninguém que fique bem com roupa de ginástica. Toda a gente fica mal. Às vezes, encontro pessoas na rua que encontrei no ginásio. Algumas delas continuam a parecer tão mal como no ginásio, o que é pena. A maior parte delas consegue, porém, um aspecto normal, de ser humano com alguma decência. Essa decência, com pêlos e peles rotundas à mostra, é difícil de manter. E é esse espectáculo da pobre vaidade de todos nós, enfiados em roupas feias e disformes, que se contempla num ginásio e é isso que eu não suporto. De modo que faço o sacrifício de não ir ao ginásio.
Sim, porque é de um sacrifício que estamos a falar. Entre ficar a casa a provar um Hagen-Daazito e ir ao ginásio pular e fingir que me divirto até à exaustão, prefiro claramente a segunda opção. Mas sou uma pessoa sensível à estética, e portanto não vou.
Como se constata, este post é de uma utilidade extrema.

6 comentários:

b'passarinho disse...

ahaha subscrevo tudo. e irritante são os espelhos dos ginásios. nunca entendi os espelhos nos ginasios.

Anónimo disse...

eu adoro ginásios e acho que há imensas pessoas que ficam bem com roupa desportiva...
susana

Anónimo disse...

A minha mãe anda-me a chatear para ir para o ginásio. Já lhe disse que prefiro que me ofereça antes uma bicicleta para me ir espetar numa qualquer estrada de terra batida cheia de pó ou lama.

Rita F. disse...

b'passarinho, os espelhos enervam-me porque tenho de ver os outros, também. Além da minha própria T-shirt, a T-shirt dos outros. É feio.

Susana, eu se calhar é que vou aos ginásios errados. :)

Anónimo, uma vez espetei-me numa bicicleta porque ia a fugir de um cão. Até acabou por ser giro, e bem mais interessante do que estar especado e fechado num ginásio. Resta dizer que o cão não me mordeu, felizmente. Foi à vida dele.

Rachelet disse...

Não frequento ginásios, mas infelizmente, tenho um à porta de casa que me brinda com essas visões dantescas todos os dias.

Zorze disse...

Gostei da vã flacidez no espaço interior. Parece-me esse o conceito fundamental do ginásio.