segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

I, George, love George

Este "cartoon" de João Abel Manta sobre Jorge de Sena é fundamental. Mesmo engraçado:


 Jorge de Sena é um monumento da literatura e língua portuguesas, nem sequer há aqui discussão possível - poesia, romance, ensaio, o homem dominava. E, curiosamente, ou talvez tipicamente, este homem essencial na língua portuguesa era ao mesmo tempo ressabiado, amuado, amargo, zangado com a pátria, e enfim, o centro do seu mundo e do seu umbigo, como este cartoon tão engraçadamente explica.
Isto que aqui escrevo sobre Sena não pretende ser nenhuma análise psicológica da sua vida e postura pessoais, que obviamente não conheço e com as quais não tenho nada a ver; nem sequer é um direito meu ter qualquer opinião sobre isso. No entanto, pessoas como Jorge de Sena deixam, além do que escreveram, atitudes, tomadas de posições, afirmações, sobre as quais podemos reflectir e das quais qualquer leitor tem o direito, efectivamente, de tirar a chamada "ilação" (outra palavra para a lista). E a ilação que eu retiro é esta, a que João Abel Manta expressou e com a qual eu concordo.
E isto, sem estar aqui agora a explicar a relação directa, faz-me lembrar o que Woody Allen disse sobre o seu filme Sweet and Lowdown, vagamente baseado em Django Reinhardt - pode haver uma diferença enorme entre a grandeza de um artista e a grandeza de um homem. E esta diferença dá para questionar uma série de coisas.

3 comentários:

Fado Alexandrino disse...

Um post arriscado, diria mesmo muito perigoso. Por casualidade frequento outro blog onde Sena é idolatrado.
Agora uma confissão, nunca li nada dele. Sim, eu sei é uma tristeza. Peço perdão mas justifico não tenho cabeça para tanto.

Rita F. disse...

Mas, Fado, eu concordo que se idolatre Jorge de Sena. Apenas acho graça pensar assim em coisas, enfim, como tão charmosamente se diz em português, "amandar bocas". :)
Eu não li muito de Jorge de Sena, mas do que li, gostei muito. É o que posso dizer.

Fado Alexandrino disse...

Muito obrigado.
Como se falou de Django Reinhardt vou colocar uma colectânea dos seus melhores momentos editada pela Verve, no meu blog dentro de dois ou três dias.