segunda-feira, 6 de junho de 2011

Caçoada

Eu sei que é um alvo fácil e que consequentemente não interessa a ninguém, mas não resisto a ressalvar o facto de a figura de Nicholas Sparks ser tal e qual como as lamechiches que ele escreve. É que é fabuloso constatar isto. Esta fotografia aqui ao lado foi publicada na Vanity Fair há uns largos meses, e quando a vi pensei que o Sr Sparks só podia estar a fazer de propósito. A rosinha e o sorriso de parvo são o culminar necessário e requintado de quem usa calças de ganga e blazer, que é coisa que eu pensava que tinha ficado enterrada, sei lá, para aí nos anos 80. Mas parece que não. Até tenho uma sugestão para o Sr Sparks, que é arregaçar as mangas do blazer, para dar ainda mais estilo. Imbatível. E "arregaçar" é verbo interessante.

Se alguém se der ao trabalho de ler a mini-entrevista que acompanha a foto, descobrirá qual era a profissão do sr Sparks antes de se tornar "escritor" e ver os seus "livros" adaptados ao cinema e enriquecer (nada contra; eu própria acalento o sonho de ver este blogue adaptado ao cinema, por exemplo). Para ajudar, dou três hipóteses, e quem não quiser ler a entrevista pode arriscar - mas atenção, expliquem o porquê da escolha. As hipóteses são:
a) contabilista
b) delegado de propaganda médica
d) dono de uma loja de artigos de desporto
d) empregado das Finanças (do IRS, como eles lá dizem)

E pronto. Em minha opinião, modesta é certa, o Sr Sparks devia investir nuns óculos de massa e um casaquinho de malha, ao menos. 

7 comentários:

Fado Alexandrino disse...

Outro dia saquei (gosto imenso deste termo) um filme que tinha o Kevin Costner e o Paul Newman e recostei-me no sofá para o apreciar.
Eis senão quando vejo que é baseado num "romance" desse escritor, estremeci.
Era o Message in a Bottle e aguentei até aos vinte minutos e depois foi de salto em salto até ao fim que arranca lágrimas das pedras da calçada.
Eu sei que a vida custa a todos mas estes artistas quando aceitam fazer estas pepineiras deviam colocar um aviso como aquele que levam os filmes para adultos ou seja é para (preencher a gosto).

Sofia disse...

Mas porque será que eu apostei que ele era delegado de propaganda médica? :)

Maria Flausina disse...

Contabilista?

Ana disse...

Já estou com pena dele. Tem um ar bonzinho.

Rita F. disse...

Eh, eh, é delegado de propaganda médica! Parabéns a quem acertou, mas a escolha era difícil, acho eu.

Realmente, tem de ar de bonzinho, sim. E se calhar até é. Mas, se for, tem de se preocupar mais com a actividade profissional que desenvolve, porque sinceramente.

Dulce disse...

Li dois livros do senhor em miúda, quando não tinha dinheiro para comprar literatura de jeito (excepto quadradinhos) e as prateleiras da biblioteca municipal se resumiam a romances de cordel.

Na altura derreti-me com aquelas lamechices (coisas de miúda, então crente no amor eterno). Hoje em dia fujo dos livros de Sparks como o diabo foge da cruz (e o drácula de alho) e desconfio sempre de alguém que o eleja como escritor favorito! (MEDO)

Pode ser um bocadinho preconceituoso, mas eu acho que aquela velha máxima pode ser adaptada para "diz-me o que lês, dir-te-ei quem és"...

E pronto, agora que nos elucidas, está explicado o sucesso do senhor... com esse arzinho sensaborão e uma fórmula de escrita inspirada nas bulas (uma dose de tragédia, duas de traição, três de amor & paixão, por aí fora...) consegue-se chegar ao top de vendas.

debbie clementine disse...

li agora este post e a minha aposta também foi a b). enfim, uma pessoa quase que os topa à distância.

sublinhando que há umas raras excepções que se sabem vestir.