segunda-feira, 19 de julho de 2010

Sintaxes

Cheguei a uma conclusão no que respeita à sintaxe da língua portuguesa.
Não gosto de frases pequenas, e não gosto das chamadas não-frases. Acho que entrecortam os textos de uma maneira feia.
Quando se escreve, por exemplo:
Tenho saudades tuas. Muitas.
Em geral, não gosto disto. Prefiro apenas "tenho muitas saudades tuas", com o sujeito e o predicado em seu devido sítio, organizadinho, escorreitinho. De outra forma, parece que estamos a repartir ideias, o que torna a leitura um bocado desagradável.
Talvez as pessoas usem esta técnica para enfatizar, por exemplo: "concordo. Tanto.", mas quanto a mim isto cria um certo efeito sentimental que me parece meio escusado. Em geral, sentimentalismos ostensivos incomodam-me um tanto ou quanto, especialmente na escrita. Mas talvez eu também não lhes consiga fugir e estou para aqui a criticar.
Era. Só. Para. Dizer. Isto.
Hoje. Não. Tenho. Muito. Que. Contar.
Ultimamente. Não. Tenho. Tido. Muitas. Ideias. De. Modo. Que. Também. Não. Há. Necessidade. De. As. Enfatizar. Com. Ou. Sem. Frases. Pequenas.

5 comentários:

Destination disse...

Curioso...é que eu gosto especialmente desse "efeito sentimental". Não funciona em todo o tipo de textos mas habitualmente dá outra intensidade às palavras.
Eu gosto. Muito!

LN disse...

Hemingway a presidente, é o que digo.

Sabes que entrecortar assim um pensamento, toma uma dimensão aumentada...

É como se fosse um novo fôlego. Cada frase. É um novo fôlego. Uma animação vital.

DR. Horácio Benguela disse...

acho que é uma falsa questão: a verdade é que pouca gente, alguns poetas, tem ouvido para as palavras.

a última época em que há registo de as palavras obedecerem ao seu peso foi na idade média, com todos aqueles feitiços e spells

"a palavra", assim solenemente, até parece coisa vaticana, mas foram eles os primeiros a persegui-la e a levarem à extinção dessa arte antiga: usá-las como armas

Dr. Horácio Benguela disse...

De defesa. Naturlich.
Armas. No entanto.

Rita F. disse...

Exemplos muito belos, sim, sim, mas eu continuo a achar que uma boa e longa frase é imbatível.
Sujeitos.
Predicados.
Complementos.
Tudo isso. Ajuda. Faz parte. Da língua.