domingo, 25 de julho de 2010

Materialismo vs eremitismo


Estive a ver uns palacetes em Sintra para comprar (pausa para rir, evidentemente). Na internet, encontram-se uns jeitosos a partir de um milhão de euros. Estamos a falar de um T16 com possibilidade de garagem. Não está mal, embora quanto a mim tudo o que não seja T18 não tenha aquela classe.
A primeira coisa que eu fazia se me saísse o Euromilhões, que eu por acaso nunca jogo, era comprar a Quinta da Regaleira. Comprava aquilo tudo e nunca mais ninguém lá punha os pés sem ser eu. Não mudava nada, porém. Quanto muito, arranjava lá um cantinho para construir uma piscinita, para nem sequer ter de sair de férias para a praia. Passaria, de bom grado, o resto dos meus dias prisioneira na Quinta. Encomendava DVDs e livros da internet. Lia jornais on-line e mandava os supermercados entregarem-me comida à porta. Não é preciso mais nada.
É por isso que penso que, por exemplo, eu sou aquele tipo de pessoa que estava bem como eremita. Qual era o problema de ficar numa propriedade ajardinada, a apanhar laranjas quando está calor para fazer sumo, fazer compras na Amazon e não ter ninguém a chatear? Não há problema nenhum.
Há certas pessoas que não têm feitio para viver uma vida de isolamento. Eu não sou dessas pessoas. Os meus gostos são simples. As minhas exigências são mínimas. Dêem-me a Quinta da Regaleira e nunca mais ouvem falar de mim.

2 comentários:

Fado Alexandrino disse...

Grande post.
Também penso assim mas ...

Não seja assim mazinha e deixe lá um dia por semana para os outros (do avental) visitarem a casinha.
Nesse dia oferecia-lhe aquela que estou quase, quase a comprar se não fosse tão longe.

A minha está aqui
http://www.fusedworld.com/Real_Estate/Australia/Australia/Queensland/Mansion_for_sale_in_Coolum_Beach_Australia_33022.html

Rita F. disse...

Fado, deixava lá entrar gente, mas só se fosse para limpar o casarão. De resto, as pessoas podem ir à Pena, que é tão bonito e saudável. Não precisam da Regaleira. :)

Fui ver a casa na Austrália. Também tem a ver comigo, simples e modesta, eh eh.